26 de ago de 2016

INCLUSIVASS no FESTIVAL DE CINEMA DE GRAMADO (RS)

#pracegover:na foto, Carol aparece em meio corpo, à direita da foto, virada para o lado esquerdo. Atrás dela aparece uma parte lateral de um ônibus, onde se lê STS


Carolina Santos, coordenadora do Grupo Incusivass, estará presente no 44º Festival de Cinema de Gramado (RS) . O curta “Carol”, que conta sua história e tem direção de Mirela Kruel e apoio do Programa de Gênero e Religião da Faculdades EST, está concorrendo na competição CURTAS GAÚCHOS. Será exibido na Sessão Mostra Gaúcha, às 14h30min do dia 28 de agosto, domingo.

Confira:


* SOBRE O CURTA ‘CAROL’:

A história de uma mulher que se redescobriu depois de ter passado por uma situação de violência. Um registro do seu cotidiano, suas dificuldades e angústias, sonhos e alegrias. Através da proximidade com a vida de Carol vemos como é possível superar preconceitos, tristezas, e seguir em frente.

Ficha Técnica
Empresa Produtora: PH 7 e Mirela Kruel – Criação de Imagens
Roteiro: Marcela Bordim
Produção Executiva: Karine Emerich
Elenco: Carol Santos
Direção de Fotografia: Eduardo Nascimento Rosa
Montagem: Bruno Carboni
Desenho de Som: Thiago Bello

O filme tem o apoio do Programa de Gênero e Religião da Faculdades EST, através do projeto Teologia, Sexualidade, Saúde Reprodutiva e Direitos, na reprodução do filme em DVD, na legendagem em inglês e espanhol e audiodescrição. Estamos muito felizes com a indicação e estaremos lá prestigiando.

* E PELA PRIMEIRA VEZ, FESTIVAL DE CINEMA DE GRAMADO vai realizar SESSÃO DUPLA DE AUDIODESCRIÇÃO


Os filmes “Memória da Pedra” e “El Mate” serão exibidos com audiodescrição ao vivo no 44º Festival de Cinema de Gramado, respectivamente, nas Mostras Competitivas de Curtas e de Longas-Metragens Brasileiros, dia 31 de agosto, quarta-feira, às 21h30, no Palácio dos Festivais, na Serra Gaúcha.

Um número limitado de ingressos gratuitos destinados exclusivamente aos usuários da audiodescrição será distribuído por ordem de reserva até dia 29 de agosto, segunda-feira, pelo e-mailovniacessibilidade@gmail.com ou pelos fones (51) 3414-4690, (51) 8451-2115 ou (51) 9208-1176.

A produção de acessibilidade é da OVNI Acessibilidade Universal, com apoio da Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência e com Altas Habilidades no Rio Grande do Sul (Faders) e da Associação Gaúcha de Audiodescritores (Agade).

Fonte:npgenero.wordpress.com

5 de ago de 2016

Campanha-#Inclusivassfalamsemmedo

As mulheres com deficiência só sairão da invisibilidade do estado e da sociedade quando as políticas de enfrentamento à violência doméstica incluírem as mulheres com deficiência.
PARTICIPE:

Lei Maria da Penha completa 10 anos no dia 7 de agosto de 2016. Para marcar a data, oGrupo Inclusivass estará participando da campanha "Eu Falo Sem Medo, e você?" do Fundo Fale Sem Medo (Instituto Avon/Fundo Elas). 

Serão realizadas várias atividades ao longo do mês de agosto. 

- CAMPANHA #inclusivassfalamsemmedo:

O Grupo iniciou a campanha nas redes sociais #inclusivassfalamsemmedo convidando as mulheres com deficiência a fazerem um vídeo de no máximo um minuto respondendo apergunta: 

"O que é violência para as mulheres com deficiência?" 

Os vídeos estão sendo veiculados na página das Inclusivass no Facebook e no canal do Youtube, Clique AQUI para acessar os vídeos. 

Para participar, basta fazer um vídeo de no máximo um minuto respondendo a pergunta: "O que é violência para a mulher com deficiência?" E publicar no seu facebook e no das Inclusivass

Assista ao vídeo em que Carolina Santos, coordenadora do Grupo Inclusivass, explica como participar:





Fonte:todassaotodas.blogspot.com

18 de jul de 2016

Consulta Pública - Lei Gaúcha da Acessibilidade e Inclusão da Pessoa com Deficiência



Sua participação é muito importante nesta construção.

Período: até o dia 22 de julho
 

Decreto nº 52.525/2015 (e sua alteração) instituiu o Grupo de Trabalho que teve como atribuição atualizar o marco legal existente segundo os princípios e conceitos da Convenção da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e da Lei Brasileira de Inclusão – LBI. Como resultado deste trabalho, foi elaborada a minuta de projeto da Lei Gaúcha da Acessibilidade e Inclusão da Pessoa com Deficiência. Segue abaixo o formulário para que você colabore com o texto final.

Site:http://www.portaldeacessibilidade.rs.gov.br/servicos/36/3334

3 de mai de 2016

Carta para a Deputada Mara Gabrili.



                                                  Senhora Deputada Mara Gabrilli

Depois de passar uma tarde toda escrevendo e construindo um diálogo entre as mulheres com deficiência do meu estado e ao ver a senhora votar a favor do impeachment e ver que é contra ter uma mulher no poder que se quer cometeu algum crime e para justificar seu voto usar as pessoas com deficiência e não falar por si só mas em prol dos seus interreses políticos usando as pessoas com deficiência, eu lhe pergunto o que o seu partido tem feito em nome das pessoas com deficiência e das mulheres com deficiência que se encontram em maior vulnerabilidade e ainda invisíveis a sociedade e seus direitos?

Quero lembrar a senhora que somos apenas 10% das eleitas na câmara de deputados e que ainda sofremos com as desigualdades na política onde nós mulheres não nascemos para estar no poder mas sim darmos o poder aos homens, sim aos homens e são eles ladrões investigados por crimes políticos que estão votando e presidiando a votação ao golpe e a senhora esta dando poder a eles.

O seu partido foi mais importante na hora de sua votoção do que a luta aos direitos das mulheres com deficiência e das pessoas com deficiência.

Quero lhe perguntar neste momento quantas pessoas com deficiência estão com vergonha da senhora em usar elas para justificar uma votação.

Quantas(os) militantes, movimentos e ongs estão se questionando.

Não quero aqui falar em partido mas quero aqui falar das mulheres na política, mulheres essas que sofrem preconceito, discriminações, perseguições, violência e se quer são respeitada na câmara dos deputados a todo momento quanto se mostram contrárias aos interesses de alguns.

Sim deputada somos atacada a todo momento pelo fato de sermos mulheres e estarmos descontruindo a hierarquia política desse país

Quero perguntar para a senhora quantas mulheres com deficiência estão na política?

Quero perguntar para a senhora quem se preocupou com as mulheres com deficiência ao fazer uma convocação Nacioanal das Mulheres com deficiência para a garantia de participação na Conferência Nacional das Mulheres para que pudessemos levar nossas reinvindicações, quem deu continuidade na SPM garantindo os direitos das mulheres, quem travou uma luta pelo fim da violência doméstica e trouxe a construção das casas da Mulher Brasileira, quem criou o programa Viver Sem Limites que beneficia as pessoas com deficiência na garantia de seus direitos e no qual se eu hoje tenho uma cadeira motorizada é graça a esse plano onde tive que empurrar minha cadeira por 15 longos anos da minha vida, quem criou um grupo de trabalho que vai promover ações para a garantir a qualidade do atendimento e acesso a saúde das mulheres com deficiência e mobilidade reduzida, quem criou a prioridade no plano Minha Casa Minha Vida onde nós mulheres com deficiência e mães temos total prioridade.

É senhora deputada tudo isso que descrevi foi criado na gestão de uma mulher que foi eleita pelo povo e que hoje sofre todos os golpes possíveis, vem sendo atacada pela mídia que afirma ser uma mulher descontrolada, vem sofrendo preconceito, sexismo, misoginia e machismo a toda hora.

O ódio contra uma mulher se espalhou pela nação sendo difundido pelos homens.

Senhora deputada.

Sim nós mulheres com deficiência queremos ter nossos direitos garantidos, chega de sermos invisiveis, chega de sermos tratadas como coitadinhas, chega de sofrermos as desigualdades da sociedade.

Sim eu pergunto para a senhora até quando nós mulheres estaremos desunidas permitindo todos os ataques pelo fato de termos uma mulher no poder.

Sejamos a voz da política, sejamos a coragem de mudar.

As mulheres com deficiência estão construindo sua história não nos envergonhe.

PRECISAMOS DE REPRESENTATIVIDADE NA POLÍTICA.

Pelo direito de igualdade

Pelo direito de parir

Pelo direito de viver sem violência

Pelo direito político

Pelo direito a igualdade salarial

Pelo direito de ser mulher...



Carolina Santos

8 de mar de 2016

A cama dos pais!


Realmente a cama dos pais tem um encanto, um cheiro, um quero dormir coladinho, abrir os braços quase derrubando o pai e a mãe da cama.
Aqui em casa já desmontei o berço pois servia de enfeite e agora é dormir apertadinho e quando dá espalhado.

A cama dos pais tem um ímã e cá para mim (ninguém me convence do contrário) tem um misterioso pó de amor impregnado nas almofadas, que faz com que os filhos adormeçam imediatamente e que o pior dos pesadelos, o mais trepidante terror noturno, fuja rapidinho.
Na cama dos pais, o último refúgio dos medos, a paz é absoluta e total.
Ali chegam, levados por pais extenuados e vencidos, ou pelo seu próprio pé, transpirados e assustados, passarinhos a voar de noite aos encontrões pelos corredores da casa, até chegarem ao lugar dos lugares. Dois colos com lençóis macios e o cheiro dos progenitores. Caem que nem tordos a dormir, apaziguados.
Os pais fingem que se importam, na manhã seguinte: «Lá foste tu para a nossa cama! Quando é que aprendes a ultrapassar os medos e a dormir sozinho? Tens de crescer!», mas nem olham muito nos olhos dos filhos quando dizem estas coisas, com medo de que eles descubram que naquele breve regresso ao ninho, ao berço inicial, os pais se enchem de amor e ternura e também eles se confortam nas suas inquietações.
Um pescoço morno. Uma mãozinha gorducha no nosso cabelo. Um pé de regresso à costela da mãe. A respiração tranquila na fronha partilhada.
O desejo secreto de que o ninho fique assim para sempre. E que a manhã demore muito a chegar.
Que o misterioso pó de amor das almofadas preserve para sempre estas excursões noturnas de mimo que não são mais do que um inteligente prenúncio, de uma saudade imensa, dos melhores dias desta vida.
Rita Ferro Rodrigues

7 de jan de 2016

Lançamento do filme "CAROL".


Hoje escrevo um pouco sobre o meu filme muitas pessoas me perguntam onde assistir e quando será lançado em Porto Alegre.

Foto das pessoas que assistiram o filme e eu.


Filme "CAROL" assim denominado com meu nome um filme que conta a minha história de vida, foi gravado em junho de 2015, com cenas fortes, tocantes, cenas lindas e de muita inspiração e superação tudo isso eu aflita tive que esperar por meses até poder assistir e ver como tinha ficado, ao lado da Telia e da diretora Mirela Kruel assistimos o filme em sessão particular, Mirela queria minha opinião sobre o filme e claro ficou tudo isso que escrevi acima e um pouco mais aos detalhes de Mirela, chorei muito enquanto passava ver minha vida registrada foi muito emocionante pra mim e ter ao meu lado duas grandes mulheres sem palavras, mulheres que acreditaram que iria dar certo e deu certo.
Nos 16 Dia de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres finalmente é lançado na Faculdade Est mais uma parceria para o filme garantindo acessibilidade, dois idiomas e cópias. um encontro lindo pois fez parte de um curso sobre violência onde tinhas pessoas de outros países, infelizmente por causa do horário e distância não tive minha família e amigos ao meu lado mas pude levar a Josiane França para assistir comigo mas sabia que o filme ainda não estava pronto com audiodescrição e como ela é cega caberia a mim fazer isso.
Estava preocupada se conseguiria passar tudo pra ela e fiquei de lado nas costas dela com a boca próxima ao ouvido dela e puder ser os olhos dela a cada cena em silêncio, pude passar pra ela os detalhes de tudo, mas o mais lindo de tudo isso foi poder descrever pra ela a cena final do filme algo dificil pra mim mas que na hora foi como se eu estivesse gravando aquela cena novamente e deixei me levar por aqueles minutos que seguiam a cena.
O filme acaba e de repente somos tomadas por uma forte emoção que emocionou a todos mas posso dizer que mais uma vez me superei e saber que aquela emoção era por eu conseguir passar pra ela as cenas em silêncio me fez chorar abraçada nela.
O filme para muitos que querem assistir será lançado este ano e acredito que alcançara as fronteiras por ai a fora pois conta a história de uma mulher vitima de violência que superou, traumas, medos e venceu tudo com determinação e hoje levanta essa bandeira.
Só tenho agradecer por cada detalhe do filme Mirela, você é demais no que faz.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...